asas, ii

um frio enorme na rua, mas o relógio da rua augusta funcionava e marcava 3 e 17 da manhã. paul e jefferson caminhavam, com o ritmo que o álcool permitia. a meta era alcançar um táxi qualquer na praça do comércio. paul não se conformava. como jefferson podia ter desistido? jefferson, uma coisa é alguém atacar as nossas asas, as nossas capacidades. já isto é um insulto, uma agressão, uma ofensa. outra coisa é desistires das tuas próprias asas. aliás, nem sei se percebeste… as tuas próprias asas foram sem ti. não tinham como não voar e, portanto, deixaram-te para trás. olha elas ali!

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s