Comunicado da Casa do Brasil de Lisboa

É com muita consternação que recebemos a notícia do falecimento de Alípio de Freitas, sócio nº 1 da Casa do Brasil.

Alípio de Freitas, o Padre Alípio para muitos militantes da esquerda brasileira dos anos 60 em diante, foi co-fundador das Ligas Camponesas no Maranhão, da organização de esquerda católica Ação Popular, dirigente máximo do Partido Revolucionário dos Trabalhadores, um dos muitos grupos revolucionários da esquerda no combate à ditadura militar. Alípio foi uma referência para a esquerda brasileira de antes e de depois do golpe militar de 1964. Preso em 1970, seu comportamento firme e altivo na prisão e na tortura tornou-se lendário. Quando saiu em liberdade, com a anistia de 1979, denunciou todos os seus torturadores no livro Resistir é preciso.
Uma referência no Brasil e uma referência em Portugal, Alípio de Freitas encarnou a cidadania luso-brasileira e as grandes causas dos migrantes.
Incansável organizador e dirigente da Casa do Brasil nos seus primeiros anos, ele foi a “chave-gazua” que abria as portas da Casa do Brasil junto a muitos setores da sociedade civil portuguesa, pelo seu prestígio e carisma militante.
A Casa do Brasil chama a seus sócios e amigos a comparecerem à homenagem realizada pela associação José Afonso no próximo sábado, 17 de junho no Fórum Roma.
O maior tributo a Alípio de Freitas é continuar a luta pelos seus ideais de toda uma vida de 88 anos dedicada a combater as injustiças e desigualdades deste duro mundo que nos tocou viver.

O Alípio deixou-nos

O Alípio de Freitas deixou-nos, mas deixou-nos tanto. O seu corpo já estava fraco, mas esteve sempre enorme de ideias. Tive a oportunidade de levá-lo a uma iniciativa no Mercado de Santa Clara (na Feira da Ladra) e colocá-lo em casa, na volta. Ele devia falar alguns minutos, mas foi impossível interrompê-lo, para bem da plateia. O Alípio falou sobre o Zeca. Uma história linda. Sobre como o encontrou, como conviveu com ele. Impossível repetir. Alípio por ele próprio, pode ler-se no blog Entre as Brumas da Memória.

Resistência

Parece uma aliança entre Darth Vader, Sauron e Voldemort, sob uma capa de imbecilidade perigosa. Valha-nos Luke e Leia, Harry Potter, Dumbledore e Hermione, Gandalf e os hobbits. Precisaremos de muita magia contra estes feiticeiros negros que ameaçam o progresso e a solidariedade na Terra.

Trump

Soares morreu muitos dias antes da tomada de posse de Trump. Naturalmente. Não merecia conviver com isto. Trump Presidente parece que será ainda pior do que Trump candidato. As primeiras 72 horas mostram isso. Como gostaria de estar errado.

Panelas bem guardadinhas

É uma ilusão achar que o pessoal das panelas vai voltar. Eles sabem que estragaram o Brasil. Estão com as panelas bem escondidinhas agora que já se percebeu que nada mudou no assunto da corrupção (ainda piorou) e que estão sendo destruídas a educação e a saúde públicas.

Patinhos, iv

STF chega a um acordo com o Senado e Renan não sai. Pode ficar mas não fica na linha dos presidenciáveis, caso Temer caia. A Constituição fugiu para parte incerta. Há patinhos indignados. Talvez ao olharem-se ao espelho.